Visual Law: o que é e como utilizá-lo - Turivius
loader-logo

Morgana Alencar

Avatar
Advogada, Membro da Comissão Especial de Direito Digital da OAB/SP e escritora 

Visual Law: o que é e como utilizá-lo

Turivius: sua nova forma de fazer pesquisa jurisprudencial tributária

Importante ferramenta do Legal Design, o Visual Law tem como principal objetivo tornar o Direito uma área mais simples e descomplicada, com uma linguagem atraente e compreensível independente de quem seja seu destinatário.

Em razão da pandemia do coronavírus, recebeu ainda mais atenção o processo de inovação do Direito que, de fato,  já vem acontecendo há bastante tempo. Você, por exemplo, já deve estar acostumado à tríade Direito, Inovação e Tecnologia, não? 

Se você gosta de inovação e quer dicas importantes de como o Visual Law ser aplicado à sua atuação no Direito, continue a leitura deste artigo, pois ele foi feito para você. 

O que é o Visual law?

O Visual Law consiste em uma das ramificações do Legal Design, sendo portanto uma de suas espécies. 

O seu principal objetivo é viabilizar a compreensão do Direito independentemente do grau de familiaridade do leitor com a área, permitindo que qualquer pessoa entenda a mensagem que se pretende transmitir. 

Com a ajuda de elementos visuais é possível simplificar a informação jurídica, deixando a transmissão do conteúdo mais atrativa e empática.

Em um mundo que busca absorver o máximo de informações no menor tempo possível, o Visual Law é utilizado para facilitar a comunicação na área que sempre foi vista como rígida e burocrática. 

Sabemos que o cliente sempre será peça central de todo negócio que busca o crescimento contínuo, mas a verdade é que o Visual Law atua além do cliente, gerando impactos até mesmo quando o diálogo é estabelecido com os seus colegas de profissão. 

Por que utilizá-lo? 

A experiência do usuário como questão central

O afogamento da máquina judiciária brasileira é uma realidade antiga e, nesse contexto, o Visual Law surge como uma forma de facilitar o processo de compreensão do julgador.

Com essa ferramenta, eles poderão ter acesso de modo simplificado às informações mais importantes para a sua tomada de decisão. 

De outro lado, o advogado poderá fazer uso do texto e de elementos visuais para narrar os detalhes que precisam de destaque, testando novos caminhos de argumentar um mesmo direito.

Assim, com o Visual Law é aprimorada a forma como o conteúdo jurídico é entregue ao seu destinatário, que poderá ser o magistrado, empresa ou mesmo a outra parte litigante. 

Concentra-se na solução do problema com foco no usuário, que terá melhor experiência ao ter contato com esse conteúdo. 

Imagens chamam mais atenção

Segundo estudo realizado em 1970 e publicado na revista Psychonomic Science, as pessoas costumam lembrar com maior facilidade de imagens que de texto. Em 1986, outro estudo demonstrou que imagens são 43% mais persuasivas que texto. 

A partir da data dos estudos citados, percebe-se que não é de hoje que se tem conhecimento do poder dos elementos visuais. 

Talvez em razão da ausência da tecnologia disponível até então ou mesmo do processo gradual da desburocratização do mundo jurídico é que tão somente agora o Visual Law vem recebendo a merecida atenção. 

Muitos profissionais do direito ainda deixam de fazer uso desse recurso por receio de não conseguirem transmitir aquilo que desejam ou mesmo de confundir aquele que está recebendo o conteúdo. 

Para facilitar a compreensão de como ocorre na prática, veremos a seguir alguns exemplos do Visual Law na prática.

Com esses exemplos, pretendemos deixar mais claro como você poderá utilizá-lo no seu escritório de advocacia ou departamento jurídico. 

 

Visual Law exemplos

Os recursos do Visual Law podem ser utilizados no momento de elaboração das petições, que poderão conter ícones 2D, bullet points, vídeos, infográficos, linhas do tempo, gamificação, dentre outros.

Além de petições, é possível utilizar essa ramificação do Legal Design na elaboração de documentos como contratos e termos de uso, deixando-os mais interativos, claros e fáceis de ler. 

Fique atento aos excessos: Para não exagerar na utilização desses recursos é indicado a utilização de ícone com poucas cores (duas a três cores), preferindo-se a paleta que corresponda à identidade visual do seu escritório, por exemplo. 

Ainda, exemplo de ferramenta gratuita que pode ser utilizada para a criação desses designs é o canva, que possui uso simples e intuitivo, auxiliando na criação de infográficos, imagens, fluxogramas.

Chegamos ao final de mais um artigo e esperamos ter conseguido demonstrar o quanto o Visual Law pode auxiliar na sua rotina, facilitando a compreensão do Direito independente de quem for o seu destinatário.


Inscreva-se para receber notícias

Não perca nenhuma notícia publicada no blog da Turivius!

Turivius: sua nova forma de fazer pesquisa jurisprudencial tributária

Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on email

Publicações Relacionadas