ROI para advogados: conceito, como calcular e exemplos práticos
loader-logo

Morgana Alencar

Avatar
Advogada, Membro da Comissão Especial de Direito Digital da OAB/SP e escritora 

ROI para advogados: conceito, como calcular e exemplos práticos

Turivius: sua nova forma de fazer pesquisa jurisprudencial tributária

Segundo o Investopedia, o ROI, do inglês Return over Investiment ou Retorno Sobre Investimento consiste em uma métrica financeira utilizada para demonstrar se o retorno de um investimento representa um ganho ou perda quando comparado ao seu custo.

A partir do cálculo do ROI é possível a compreensão da lucratividade de determinado investimento, permitindo que o profissional tome decisões baseada em dados e não em achismos. 

Assim, quando o ROI passa a ser uma métrica presente na rotina de advogados, esses profissionais se tornam aptos para medir com precisão quanto um investimento está gerando de lucro ou perda para o seu escritório ou departamento jurídico.

Acompanhe o artigo para aprofundar seus conhecimentos sobre o ROI e seus impactos práticos para a advocacia! 

Leia também:

Indicadores de desempenho para advogados: como escolher KPIs na advocacia

O que é o Retorno Sobre Investimento? 

O ROI ou Retorno Sobre Investimento se traduz na métrica que poderá justificar ou não determinada decisão/estratégia na vivência da advocacia. 

Cada vez mais advogados são cobrados para que o jurídico deixe de ser uma área apenas de despesas e solução de problemas para se transformar em uma área proativa, inovadora e que ofereça soluções criativas e mais econômicas.

Nesse sentido, o cálculo do ROI se torna uma das métricas essenciais para orientar a tomada de decisão quando advogados ponderam sobre aceitarem determinada demanda, contratarem um software, investirem em marketing para prospecção de clientes, etc.   

Ao informar se o retorno de um investimento é realmente lucrativo, adicionando o aspecto financeiro às suas demais vantagens, torna-se mais objetivo o momento de decidir pela manutenção ou mudança na forma do advogado atuar.

Exemplos práticos de ROI para advogados

Na análise de processos judiciais, por exemplo, é possível verificar quais causas têm maior probabilidade de lucro, de modo a evitar aquelas mais complexas e morosas que não oferecem retorno financeiro compatível.

Somado, ainda, ao uso da jurimetria, recurso que oferece maior assertividade e previsibilidade à advocacia, o cálculo do ROI poderá ser um determinante para que o profissional conclua pela realização de um acordo ou prosseguimento da demanda. 

Outro exemplo prático de ROI na advocacia diz respeito à contratação de softwares jurídicos.

Ao calcular o ROI referente à compra de tecnologia, os gestores conseguem verificar se o esforço de tempo e dinheiro em determinada solução está de fato sendo positivo para o escritório ou departamento jurídico.

Considerando os exemplos acima fica nítida a importância do ROI para advogados, que usufruem de vantagens como: otimização de tempo, correta precificação dos serviços jurídicos prestados, tomada de decisões orientadas por dados e consequente redução de riscos financeiros para o escritório ou departamento em que atuam.

Como calcular o Retorno Sobre Investimento na advocacia?

Para calcular o ROI basta obter a receita total obtida com o investimento (ganho obtido) e subtrair deste valor os custos do respectivo investimento, devendo esse valor ser dividido pelo custo de investimento e, ao final, multiplicado por 100%. 

Assim, considerando uma causa tributária em que o ganho total (honorários relativos ao êxito + porcentagem sobre o processo) seja de R$20.000, sendo daí deduzidos R$4.000 referentes aos custos envolvidos, tem-se um ROI de 400%. 

O mesmo cálculo pode ser feito também por um advogado ou gestor de departamento jurídico que está pensando em contratar tecnologia que ofereça redução de custos operacionais, como a pesquisa jurisprudencial com uso de Inteligência Artificial, mas ainda tem dúvidas se vale a pena o investimento. 

Para ter certeza é preciso que o profissional verifique quantas horas são despendidas em pesquisa jurisprudencial e qual a sua representação em gastos salariais da sua equipe. 

Ao fazer um comparativo com a pesquisa jurisprudencial inteligente (que faz uso de Inteligência Artificial), um estudo feito pelo National Legal Research Group concluiu que o uso de IA contribui para que esses profissionais sejam  24,5% mais rápidos que aqueles que utilizam apenas a pesquisa tradicional.

Nesse mesmo sentido, também foi realizada pesquisa pela Turivius em que se verificou o gasto anual de 135 horas anuais em pesquisa jurisprudencial, o que representaria R$10.350,00 gasto em salários.

Considerando que a ferramenta pode reduzir o tempo gasto com pesquisa jurisprudencial em até 90% (ou seja, o valor gerado por usuário é de R$ 9.350,00), basta avaliar o ROI inserindo o valor do investimento na ferramenta na fórmula abaixo. 

Leia também:

Inteligência Artificial aplicada à pesquisa jurisprudencial

Análise do ROI e investimento em softwares jurídicos

Em busca de vantagens como otimização de tempo e aumento da produtividade, muito se fala no investimento em tecnologia para escritórios de advocacia e departamentos jurídicos através da contratação de soluções fornecidas por lawtechs e legaltechs

Nesse contexto, a análise do ROI se torna um grande aliado de gestores jurídicos que querem implementar tecnologias e precisam mensurar com precisão o saldo positivo desta contratação. 

Sendo assim, a contratação e implementação de soluções tecnológicas deve perpassar pelo cálculo do ROI, uma vez que essa métrica é essencial para verificar se a ferramenta escolhida está alcançando as expectativas. 

Ainda, além do lucro propriamente dito, o retorno positivo desse investimento deve ser analisado sob a perspectiva de vantagens como o aumento da produtividade, eficiência e competitividade de escritórios de advocacia e departamentos jurídicos.  

Considere, por exemplo, o caso do advogado que atua com Direito Tributário e precisa se manter atualizado sobre a jurisprudência mais recente e que impacta no direito dos seus clientes. 

Se a prescrição é um dos temas importantes para a atuação deste advogado, fará parte da sua rotina de pesquisa a descoberta de novas decisões que surgirem nesse sentido.

Ele precisará, portanto, monitorar diariamente os sites dos tribunais, acessando cada site manualmente e verificando decisões que possam ser importantes para os seus casos. 

Essa tarefa simples, porém repetitiva e um tanto morosa, demanda tempo e zelo de um profissional que poderia estar atuando em frentes mais estratégicas, como na elaboração de teses tributárias complexas ou prospecção de clientes.  

Por outro lado, quando se opta por utilizar software jurídico para automatização de tarefas como essa, passa-se a monitorar diariamente esses resultados sem a necessidade de acessar site por site. 

Para visualizar esse exemplo na prática, assista ao vídeo a seguir em que a advogada e representante de novos negócios da Turivius, Thaís Seixas, explica como monitorar a jurisprudência proferida em um ou mais tribunais e receber as novidades por e-mail. 

Nesses casos, não há dúvidas que a tecnologia tornará mais produtiva a rotina deste profissional e de sua equipe, viabilizando a automatização de tarefas repetitivas e de baixa complexidade. 

Dica bônus: para quem se interessa por tecnologia e está sempre em busca de novas ferramentas que possam tornar seus serviços jurídicos mais produtivos, uma dica de conteúdo é o podcast Legal Driver.

Nesse podcast, Bernardo de Azevedo e Alexandre Morais da Rosa fazem resenhas de softwares jurídicos, indicando suas principais vantagens e desvantagens, bem como a plataforma pode ser útil no dia a dia de advogados. 

Leia também para conhecer outros podcasts que possam ser do seu interesse:

5 Podcasts jurídicos que todo advogado deveria acompanhar em 2021

Conclusão

Para o cálculo do ROI ser feito de forma correta e precisa é necessário o conhecimento e monitoramento de outros dados essenciais às atividades jurídicas. 

Ou seja, somente será possível medir o total investido e seu respectivo retorno com o conhecimento de todas as variantes que fazem parte deste cálculo, tais como: custo da hora do advogado responsável pela tarefa, valor total de receitas e despesas com o devido descritivo, horas despendidas em cada tarefa, etc. 

Por outro lado, tente não paralisar a sua decisão caso você não tenha todos os dados acima. As vezes apenas uma estimativa das variáveis mais importantes (exemplo, custo da hora dos seus advogados) já será suficiente para tomar uma decisão. 

Sendo assim, o primeiro passo para o cálculo do ROI e de outras métricas é a adoção de um mindset focado em dados, o que permitirá a tomada de decisões mais assertivas e com menor chance de erros. 

Para conhecer mais métricas que devem fazer parte da rotina de advogados, leia também:

Métricas para Departamentos Jurídicos:  descubra quais são as principais!

Inscreva-se para receber notícias

Não perca nenhuma notícia publicada no blog da Turivius!

Turivius: sua nova forma de fazer pesquisa jurisprudencial tributária

Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on email

Publicações Relacionadas