Os rumos da advocacia digital: 6 práticas que você precisa dominar - Turivius
loader-logo

Danilo R. Limoeiro, PhD

Danilo Limoeiro
PhD pelo MIT, mestre por Oxford, CEO da Turivius 

Guilherme Kenzo

Guilherme Kenzo
CTO da Turivius, bacharel e mestre em direito (USP), ex-pesquisador da FGV e do Lawgorithm 

Os rumos da advocacia digital: 6 práticas que você precisa dominar

Turivius: sua nova forma de fazer pesquisa jurisprudencial tributária

Com a transformação digital, o mundo ressignificou suas relações interpessoais, de trabalho e de serviços. O surgimento de startups e de modelos de negócios baseados em inovação representou um verdadeiro revés em segmentos tradicionais do mercado, como o direito, que se viu caminhando para um novo rumo: o da advocacia digital. 

Com o aumento da digitalização e automatização de procedimentos, a forma como serviços jurídicos são prestados está mudando, e muito se questiona sobre o papel dos profissionais de direito em toda essa transformação. 

Afinal, o que é preciso saber? Como as novas tecnologias vão beneficiar o trabalho do advogado? Como incorporar novas tecnologias à rotina? 

Continue lendo este artigo para descobrir.

O que é advocacia digital?

Antes de falarmos sobre os desdobramentos da advocacia digital e sobre seus impactos na rotina do profissional, é preciso termos o conceito claro. 

A advocacia digital oferece novas soluções jurídicas por meio da tecnologia. A prática reúne ferramentas e estratégias digitais que transformam a forma que você:

  • Adquire novos clientes, 
  • Aprende sobre os temas jurídicos, e
  • Executa e entrega os seus serviços.  

Com isso, você executa de forma diferente tarefas relacionadas ao marketing do seu escritório, seus estudos e do seu time, a forma de se relacionar com clientes, e até a pesquisa jurídica e a forma de analisar de dados complexos do Judiciário. 

É essencial compreender que a advocacia digital surge e se consolida como uma ferramenta de apoio, e não de substituição à expertise humana. A ideia é que as soluções digitais sejam conjugadas ao trabalho do advogado, criando, assim, condições para o alcance de resultados mais eficientes, ágeis e completos.

O que um advogado digital precisa conhecer? 

Para atingir um status de integração plena à advocacia digital, é preciso conhecer algumas ferramentas e estratégias, e, principalmente, saber como fazê-las trabalhar a seu favor. 

Conheça abaixo as 6 práticas que você deve dominar

1. Técnicas de marketing digital

Um dos impactos mais perceptíveis da transformação digital é a presença online de uma porcentagem expressiva da população brasileira: segundo a pesquisa TIC Domicílios, 70% dos brasileiros — ou 126,9 milhões de pessoas — faz uso da internet. 

Isso significa que para ser visto e encontrado por potenciais clientes, é preciso conhecer técnicas básicas de marketing digital. A principal delas é a presença ativa nas redes sociais. LinkedIn, Facebook e Instagram são os canais convencionais, mas destaca-se quem vai além, e encontra seu espaço em mídias como o YouTube, os podcasts e o e-mail marketing. 

A migração dos advogados para as redes sociais também reforça um importante movimento muito ligado à transformação digital: a democratização do conhecimento jurídico. Com o aumento do nível de exigência da população sobre todos os serviços consumidos, cresce também a necessidade de entender mais sobre o que lhes é oferecido, bem como de atestar, por experiência própria, a credibilidade do profissional contratado. 

2. Digitalização de documentos e armazenamento em nuvem 

O tempo de grandes bibliotecas físicas e gavetas lotadas de documentos nos escritórios está com os dias contados. Uma tendência de conhecimento obrigatório para quem está entrando no mundo da advocacia digital é o armazenamento em nuvem. 

A tecnologia, que permite o acesso a arquivos e dados de qualquer lugar, a qualquer hora, cresce a cada ano em popularidade no meio jurídico, como comprova a pesquisa TechReport, divulgada em 2017 pela American Bar Association. 

O relatório mostra que o número de advogados utilizando tecnologia em nuvem cresceu 40% entre 2016 e 2017, e que a tecnologia é popular entre profissionais que atuam solo ou em pequenas empresas. 

Entre os benefícios da ferramenta listados pelos entrevistados, estão: 

  • facilidade de acesso,
  • backup de dados eficiente,
  • baixo custo, e
  • despesas previsíveis.

Essa tendência deve crescer ainda mais com o crescimento da possibilidade de trabalho remoto dos advogados. Ao trabalharem de casa, os advogados precisam poder acessar e arquivar documentos na nuvem. 

A Turivius oferece uma ferramenta que permite a gestão digitalizada de todo o conhecimento jurisprudencial. Com as Coleções, o advogado arquiva facilmente os resultados de sua pesquisa em pastas virtuais organizadas por temas, salvas na nuvem. 

 

Ele pode compartilhar essas pastas com seu time e elas são atualizadas automaticamente. É uma espécie de Pinterest para advogados. 

Clique no botão abaixo se você quiser conhecer melhor o sistema de coleções da Turivius.

3. Ferramentas de cibersegurança

Quando falamos sobre ambientes virtuais, inevitavelmente falamos também sobre vulnerabilidade de dados. 

Por sorte, na mesma medida em que são aprimoradas as técnicas de violação de dados, são fortalecidas as alternativas para protegê-los. 

Face a isso é imprescindível que, ao migrar para a advocacia digital, o profissional conheça e utilize mecanismos de proteção digital, como o blockchain e o gerenciamento de identidades e acessos, por exemplo, para assegurar a integridade das informações armazenadas no sistema. 

4. Business Intelligence Jurídico

Você já ouviu falar em Business Intelligence (BI)? A expressão, traduzida como Inteligência de Negócios, abarca os softwares de análise de dados gerenciais. É mais uma opção de tecnologias que as tecnologias digitais oferecem aos profissionais que adotam a prática da advocacia digital. 

A inteligência de negócios ajuda, principalmente, a analisar dados que resumem o desempenho financeiro do mercado, encontram custos desnecessários e áreas com potencial para aumentar receita e lucro. Por exemplo, você sabe quais suas margens para cada cliente e ou a distribuição do seu faturamento por tipo de processo?  As ferramenta de  BI podem avaliar essas métricas com mais precisão, detalhamento e menos tempo. Assim você otimiza a saúde financeira do seu escritório. 

Lembre-se: o que não medido não é melhorado. 

5. Escritórios virtuais

O quinto item da lista de tendências da advocacia digital, é, na verdade, uma consequência do uso das ferramentas pontuadas acima. 

Os escritórios virtuais são uma resposta à desvinculação do espaço físico para a prestação de serviços jurídicos, já que, com dispositivos móveis e tecnologia em nuvem, é possível trabalhar literalmente de qualquer lugar, a qualquer hora. 

Para as empresas, o trabalho remoto só tem a acrescentar. Além de reduzir custos fixos, como contas de energia e aluguel de espaços, a mobilidade do escritório ainda permite incorporar à equipe profissionais qualificados de qualquer lugar do mundo. 

Já para os advogados, é uma oportunidade para buscar o tão sonhado equilíbrio entre a vida profissional e a pessoal com rotinas de trabalho mais flexíveis. 

Depois da crise da COVID19 em 2020, os escritórios virtuais tendem a aumentar pois trabalho remoto passará a ser algo mais comum entre profissionais, inclusive para além do mundo jurídico. 

6. Jurimetria

Por fim, a última ferramenta essencial para compreender a advocacia digital é a aplicação de análises estatísticas ao direito. Como explicamos no nosso guia completo da jurimetria e direito, como consequência da revolução dos dados digitais e da inteligência artificial

Nesse outro artigo sobre jurimetria, explicamos as 5 razões pelas quais a jurimetria pode aumentar a competitividade dos escritórios na advocacia digital, que resumimos abaixo:

 

  1. Complementa a expertise e conhecimento tradicional com análise quantitativa rigorosa,
  2. Dá nova perspectiva em temas que você (acha que) domina bem,
  3. A jurimetria poupa tempo. Tempo é mais do que dinheiro: é o seu bem mais escasso,
  4. Pode ser sua porta de entrada ao Legal Design, e
  5. O uso da jurimetria pode aumentar seu faturamento por atrair mais clientes.

Preparamos para você esse guia completo sobre jurimetria e uma vídeo-aula para te introduzir ao assunto

E se você quiser saber mais sobre soluções para a advocacia digital, te convidamos para conhecer melhor a plataforma da Turivius.  Ela integra soluções de pesquisa jurisprudencial inteligente, jurimetria e gestão do conhecimento jurídico em uma única ferramenta. 

Nossa ferramenta, integrada ao conceito de advocacia digital, permite aos profissionais investirem tempo no que realmente importa: melhorar sua competitividade e faturamento atender melhor o cliente. 

Quer conhecer todas as funcionalidades da Turivius na prática? Então peça uma demonstração gratuita

Inscreva-se para receber notícias

Não perca nenhuma notícia publicada no blog da Turivius!

Turivius: sua nova forma de fazer pesquisa jurisprudencial tributária

Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on email

Publicações Relacionadas

principais classificações dos tributos

Principais classificações dos tributos

As principais classificações dos tributos no Brasil são as seguintes: vinculado e não vinculado, direto e indireto, fixo e proporcional, progressivo e