3 Dicas para se tornar um(a) advogado(a) data driven

Dicas de como implantar a cultura data driven em escritórios e departamentos jurídicos.
Morgana Alencar
Morgana Alencar
Conteúdo e Treinamento | Escritora | Apaixonada por Sustentabilidade | Advogada

A cultura organizacional do advogado(a) data driven tem como principal função orientar a tomada de decisões em um negócio a partir da análise de dados. 

Advocacia 5.0

Ou seja, a forma como se age vai além da teoria e da experiência vivenciada por cada profissional, tendo como base de conhecimento dados relevantes para determinado negócio. 

Como posso se tornar um Advogado data driven

Considerando que resta superado o receio da substituição do profissional pela tecnologia, também não pode ser ignorada a riqueza de dados armazenados em cada escritório ou departamento jurídico. 

Assim, não há dúvidas quanto aos benefícios que se tornaram disponíveis quando os dados presentes em processos judiciais e administrativos começaram a ser analisados e organizados a partir de filtros relevantes para tomada de decisões. 

Vejamos a seguir algumas dicas de como implantar a cultura data driven em escritórios e departamentos jurídicos:


Defina KPIS claros

Para que os dados sejam aproveitados para a geração de insights é necessário que sejam compreendidas as principais métricas de um negócio, caso contrário seria inviável a análise de todos os dados disponíveis. 

Os KPIs (Key Performance Indicators, ou Indicadores-Chave de Desempenho) são métricas utilizadas para medir o desempenho de uma organização ou equipe em relação aos seus objetivos e metas.

Logo, para definição dos KPIs em um escritório de advocacia, o advogado pode seguir os seguintes passos:

  1. Identificar os objetivos do escritório: É importante que o advogado defina claramente quais são os objetivos do seu escritório. São alguns exemplos de KPIs: prospectar mais clientes, melhorar a qualidade do serviço prestado, reduzir custos, aumentar a rentabilidade, etc.
  2. Identificar as áreas-chave do escritório: Depois de ter definido os objetivos, é importante identificar as áreas-chave do escritório que são críticas para alcançar esses objetivos. Por exemplo, se você deseja prospectar mais clientes, talvez seja necessário olhar para a área de marketing jurídico dentro do escritório, não é mesmo?
  3. Definir as métricas relevantes: Com base nas áreas-chave identificadas, o advogado pode definir as métricas relevantes para cada uma delas. Por exemplo, para a área de prospecção de clientes, as métricas podem incluir o número de leads gerados, a taxa de conversão de leads em clientes, etc.
  4. Definir as metas: Depois de ter definido as métricas relevantes, é importante definir metas específicas para atingir cada uma delas. Estas devem ser mensuráveis e alcançáveis, e devem estar alinhadas com os objetivos do escritório.
  5. Monitorar e analisar os resultados: Por fim, o advogado deve monitorar regularmente os resultados das métricas e compará-los com as metas definidas. Somente por meio da análise, é que o advogado conseguirá identificar melhorias e tomar medidas para corrigir problemas e, assim, alcançar os objetivos definidos.

Quando métricas relevantes são traçadas se torna possível acompanhar a evolução de um negócio, o que se encontra diretamente relacionado com a análise dos dados coletados. 

Veja também:

Indicadores de desempenho para departamentos jurídicos e escritórios de advocacia

O que é Legal Analytics e quais são suas vantagens para os advogados?

Mantenha os dados internos organizados

Não raro, os dados acabam se perdendo durante a correria do dia a dia. Os prazos, reuniões e audiências podem tornar o tempo escasso e assim as atualizações de sistemas internos são adiadas uma vez e assim sucessivamente. 

Por isso a importância de toda equipe se manter alinhada quanto à necessidade de constantes atualizações, bem como que esses sistemas sejam preenchidos da forma correta. 

Em alguns casos caberá até mesmo conversar com os membros do seu time e verificar se todos compreenderam quais dados precisam estar constando no sistema. 

Uma forma de manter os dados internos organizados é investindo em softwares que concentrem os processos e suas atualizações, com a agenda da equipe e distribuição de tarefas em um mesmo lugar, sendo essa uma opção para manter a consistência. 

O Astrea, por exemplo, é um software que garante o acesso às publicações e prazos, concentrando no mesmo local as pastas com os processos de seus clientes.

Assim, como parte de uma gestão data driven o seu banco de dados internos já deve ser encarado como potencial ferramenta a contribuir com insights para tomada de decisões. 

Invista em um software de análise de dados: Jurimetria

Com a revolução dos dados e da inteligência artificial hoje em dia advogados podem contar com o suporte da Jurimetria, que é a tecnologia que permite que a estatística seja aplicada ao direito e responda perguntas a partir de poucos cliques. 

Como dissemos acima, sistemas internos atualizados são capazes de fornecer milhares de dados. Mas imagine o tempo que precisaria ser investido para organizar esses dados e obter conclusões?

Isso pode ser rapidamente viabilizado com o uso da Jurimetria. Caso contrário seriam horas e mais horas para compreender o posicionamento de determinado julgador ao tratar de ações envolvendo determinado tema. 

Sem a ajuda dessa tecnologia o seu time de advogados depende de horas de pesquisa avaliando como vem se posicionando determinado tribunal sobre o caso do seu cliente.  Por outro lado, ao ter o suporte da inteligência artificial se torna possível responder as seguintes perguntas com poucos cliques:

  • Quais as chances de celebrar um acordo ser mais benéfico que prosseguir com o processo?
  • Qual a tese que vem sendo apresentada por X desembargador?
  • Quais as chances de vitória do meu cliente? 

Ainda que seja possível uma análise manual, a disponibilidade do tempo da equipe interna dificultaria a fluidez das tarefas internas como prazos administrativos e judiciais, além de tornar inviável a atuação estratégica dos mesmos. 

Consequência disso seria desperdiçar o papel altamente estratégico que o departamento jurídico possui para um negócio, deixando de agregar valor às suas entregas por conta da ausência de tempo disponível. 

Ao se valer da Jurimetria, com poucos cliques e em tempo recorde, advogados conseguem atuar com maior assertividade e previsibilidade, melhorando ainda mais a qualidade do serviço prestado. 

Vale, inclusive ressaltar que a Jurimetria é a sua porta de entrada para o visual law, uma vez que oportuniza ao advogado se comunicar com o cliente de forma mais atraente e embasando sua opinião jurídica com dados estatísticos.


Se você chegou até aqui isso significa que está disposto a se tornar um advogado data driven e, não temos dúvidas, você já está no caminho certo. 

Sumário

Posts Relacionados

Direito Empresarial: 4 Estratégias Práticas para Destacar sua Carreira
Explore as estratégias essenciais do Direito Empresarial e descubra como impulsionar sua carreira, seja atuando em escritórios especializados ou integrando
Veja como realizar um controle de prazos processuais de forma simples e segura

O controle de prazos processuais não é apenas uma tarefa rotineira, é uma prática que exige precisão, vigilância e uma

Teste o software gratuitamente

Pesquisa jurisprudencial com filtros de Inteligência Artificial e Jurimetria.