Como contratar um bom advogado para o seu escritório? - Turivius
loader-logo

Morgana Alencar

Avatar
Advogada, Membro da Comissão Especial de Direito Digital da OAB/SP e escritora 

Como contratar um bom advogado para o seu escritório?

Turivius: sua nova forma de fazer pesquisa jurisprudencial tributária

Muitos gestores se frustram com a grande rotatividade em escritórios ou departamentos jurídicos, ou ainda, com arrependimentos após contratação de advogados que não suprem as necessidades da vaga. 

No artigo de hoje apresentamos dicas importantes para contratar o advogado ideal para o seu escritório ou departamento jurídico. Acompanhe! 

4 Dicas para contratar um bom advogado

Alinhamento de expectativa

No momento da contratação é essencial o alinhamento de expectativas entre o que a empresa espera do profissional e o que ele espera evoluir com essa experiência. 

Ao fazer perguntas como “onde você se vê daqui a 5 anos” é possível compreender o que o profissional pretende para a sua carreira, facilitando concluir se ele é ou não o advogado ideal para aquela vaga. 

Muitas vezes a remuneração ser atraente e o profissional estar em busca de um novo emprego fazem com ele demonstre interesse por vagas que não coincidem com aquilo que espera para sua carreira. 

Nesse momento, cabe a você na postura de gestor mapear se, por exemplo, uma possível mudança de área está acontecendo por curiosidade e desejo de ter novas experiências, ou se, na verdade, aquele profissional apenas está buscando um emprego e chegou no seu escritório sem ter afinidade com a área. 

Para compreender o que esse advogado está buscando é preciso uma análise do que foi dito em entrevista em combinação com a sua experiência destacada em currículo e, ainda, sua expertise demonstrada em prova técnica aplicada pelo seu escritório. 

Adequação ao perfil da vaga

Um erro que ocorre muitas vezes na contratação de profissionais é não mapear o perfil necessário para aquela vaga em específico. 

Ainda que possa ser um excelente profissional, experiente e com vontade de aprender, se as demandas da vaga não forem condizentes com a sua personalidade aumentam as chances de não adaptação. 

Exemplo disso é uma vaga que demande uma pessoa comunicativa, que goste de participar de audiências e do contato com o cliente e o advogado contratado seja do perfil que prefere produzir peças processuais e formular teses jurídicas. 

Mesmo que no momento da entrevista ele se demonstre aberto às novas atividades é possível que, em um futuro próximo, esse advogado busque novas experiências que façam mais sentido para o seu perfil. 

Trabalhe uma boa comunicação a todo momento 

Uma boa comunicação, como vimos, se inicia com um processo seletivo claro, com expectativas devidamente ajustadas e perfis de profissionais que são compatíveis com as demandas.

Após a contratação essa comunicação deve melhorar ainda mais, de modo a sempre acompanhar como esse profissional está sentindo seu papel dentro da empresa, se está entregando o esperado, bem como obtendo vantagens para seu desenvolvimento que superam a questão financeira. 

Como gestor jurídico não se esqueça de cumprir as promessas feitas e de manter o diálogo aberto para ajustes necessários que surgirem ao longo do caminho. 

Assim como você precisa que o advogado entenda o seu lado na posição de gestor, ele precisa que você entenda o dele, por isso uma comunicação clara e sincera pode fazer diferença na permanência desse profissional.

Vale dizer, ainda, que em modelos de trabalho como o agilismo, o que deseja o gestor é garantir a maior independência do quadro de advogados liderados por ele, de modo que o negócio funcione praticamente sozinho, contando com o gestor jurídico apenas para casos pontuais. 

Para isso é preciso de constante alinhamento com a equipe, garantindo que todos trabalhem com o mesmo objetivo. 

Veja também: 

Metodologia Ágil para Advogados 

E como atrair um bom advogado? 

Uma dica essencial para advogados iniciantes é o planejamento de carreira. 

Dentre as vantagens de ter uma carreira estruturada podemos citar a oportunidade de aprofundar o relacionamento com colegas de profissão e gestores jurídicos. 

Planejar a sua carreira jurídica também é uma forma de se demonstrar confiável e assumir gradativamente papéis de maior complexidade, responsabilidade e relevância

O que costuma acontecer quando não há um planejamento claro de carreira em escritórios e departamentos jurídicos é a contínua busca por novas oportunidades de emprego, o que faz com que esses advogados passem pouco tempo em empresas que não dispõem dessa oportunidade de crescimento. 

Segundo Eduardo Perroni, consultor no segmento jurídico, o ideal é que o profissional permaneça em um mesmo escritório ou departamento jurídico pelo período de 2 a 4 anos. 

Ainda que a possibilidade de novas vagas possam contribuir com o aumento da remuneração, observa o consultor que após determinado estágio da carreira torna-se necessária a demonstração de uma relação sólida e baseada na confiança, o que não seria possível quando o advogado passa apenas 6 meses em cada emprego. 

Além de não criarem vínculos mais duradouros com seus gestores, a mudança constante e não planejada, em que o advogado passa por diversos setores do Direito mas não aprofunda sua atuação, pode indicar para novas oportunidades ausência de foco e determinação daquilo que realmente se busca. 

Daí a importância do seu escritório dispor de vantagens nesse sentido, de modo que os seus colaboradores se sintam constantemente motivados, em busca do desenvolvimento pessoal e profissional, permanecendo na sua empresa e contribuindo para o crescimento do seu negócio.  

Veja também:

Advogado do futuro: torne-se um com estas 5 dicas

Os rumos da advocacia: 5 dicas para advogados e advogadas em início de carreira

Inscreva-se para receber notícias

Não perca nenhuma notícia publicada no blog da Turivius!

Turivius: sua nova forma de fazer pesquisa jurisprudencial tributária

Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on email

Publicações Relacionadas