Advocacia 5.0: A evolução digital no Direito

Conheça a Advocacia 5.0 – leitura essencial para advogados atualizados e preparados para a (R)evolução no Direito. O futuro é agora!
Picture of Equipe Turivius
Equipe Turivius
Software jurídico | Advocacia com Inteligência Artificial 📉⚖️ Gestão Jurisprudencial e Jurimetria EstratégicaPeça o seu teste gratuito.

A Advocacia 4.0

As Revoluções Industriais – iniciadas no final do século XVIII – foram responsáveis por transformar, completamente, o nosso modo de vida, moldando a forma de consumo, o trabalho, a urbanização e, em especial, intensificando o desenvolvimento tecnológico.

A Evolução Digital no Direito

Neste período – denominado “era da mecanização” – as mudanças foram intensas, e, após cerca de 200 anos, recentemente, chegamos na 4ª Revolução Industrial ou Indústria 4.0.

A Indústria 4.0 é pautada na:

  1. descentralização dos controles dos processos produtivos; e,
  2. proliferação de dispositivos inteligentes e interconectados, ao longo de toda a cadeia de produção e logística.

A Indústria 4.0 tem por base tecnologias, como:

  1. internet das coisas (IoT);
  2. computação em nuvem;
  3. Big Data;
  4. segurança da informação;
  5. realidade aumentada;
  6. Web 3.0;
  7. Blockchain;
  8. sistemas integrados; e,
  9. robôs autônomos.

Assim sendo, a nova Revolução Industrial traz uma série de mudanças de paradigmas que alteraram os alicerces funcionais da indústria, bem como a dinâmica de entrega de um produto ao consumidor.

Novas Formas de Fazer Negócio

Qualidade de Vida é Prioridade!

Não se limitando à indústria manufatureira propriamente dita, a tecnologia impulsionada pela nova indústria abarca, também, as relações pessoais e profissionais, os meios de comunicação, a mobilidade, as finanças, o comércio e a prestação de serviços, resultando em uma verdadeira transformação digital no setor, com o surgimento de novos modelos de negócios.

A intensidade dessa revolução ganhou ainda mais força com a pandemia da COVID-19, atingindo rigorosamente as relações profissionais. A transformação digital nos meios de comunicação, em razão do distanciamento social, permitiu aos trabalhadores prestarem serviços à distância e os modelos de home-office e híbrido se comprovaram eficientes.

Destarte, com o advento da pandemia, a sociedade se deu conta de que é possível trabalhar de qualquer lugar do mundo, ter mais autonomia e equilibrar a vida pessoal e profissional. A sagrada flexibilidade então se tornou a maior conquista da atual geração de trabalhadores.

Quando do final da pandemia e do retorno forçado ao anacrônico modelo de trabalho integralmente presencial, o mundo presenciou um grande fenômeno – “The Great Resignation” – caracterizado por um expressivo número de pedidos de demissões nunca visto no mercado. Dentre os principais motivos estava a busca pela flexibilidade.

Amparados pelos novos modelos de negócios e facilidades impulsionados pela Indústria 4.0, a maioria dos demissionários passou a atuar de forma autônoma, grupo denominado de “Do-It-Yourselfers”

Cumpre destacar que, a quantidade de advogados autônomos no mercado jurídico brasileiro surpreende. Dos mais de 1.3 milhões de advogados inscritos na Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), dois terços (2/3) são autônomos, o que representa cerca de 860 mil profissionais. 

Advocacia 5.0

Nesse contexto, com tantos advogados autônomos no mercado – aliados às novas tecnologias impulsionadas pela Indústria 4.0 – as páginas do Direito vêm sendo reescritas pela transformação digital denominada de “Advocacia 5.0”.

Em síntese, a Advocacia 5.0 é marcada pela inserção dessas novas tecnologias no Direito, permitindo aos advogados trabalharem de forma descentralizada, remota e com autonomia, de modo a centralizar seu foco na humanização e na customização do atendimento ao cliente.

As Lawtechs e Legaltechs foram as percursoras do surgimento da Advocacia 5.0, pois rapidamente identificaram as novas tecnologias da Industria 4.0 (inteligência artificial, IoT, Blockchain, Big Data, nuvem, etc.) e as implementaram no Direito, fornecendo um arcabouço recheado de ferramentas disruptivas como automação de processos, protocolos em bloco, modelos pré-diagramados de peças e documentos, bibliotecas jurídicas digitais, plataformas de economia colaborativa, conexão e mediação, infraestruturas jurídicas digitais, Jurimetria, Legal Analytics e Smart Contracts. Com base nas novas tecnologias tudo é feito de maneira rápida e remota!

A Advocacia 5.0 tem promovido uma verdadeira democratização do Direito, possibilitando o acesso, por todos os advogados (autônomos ou não) a essas novas tecnologias, fornecendo subsídios para que passem a atender seus clientes com ferramentas de ponta – antes restritas apenas às grandes corporações –, reduzindo significativamente os custos dos autônomos com deslocamentos, estrutura e material, o que possibilita a redução de valores a serem cobrados de seus clientes, a título de honorários.

É inegável que estamos vivenciando uma grande (r)evolução no Direito, antigamente assinalado pelas estruturas hierárquicas verticais, conservadoras e formalistas em prol da sustentabilidade, diversidade, horizontalidade e descentralização, tornando a vida do advogado mais fácil, prática e justa, bem como permitindo que foque no necessário – o cliente.

Tecnologia e Prática Jurídica

Em recente levantamento desenvolvido pela Associação Brasileira de Lawtechs e Legaltechs (AB2L) e a Lexly, foi identificado que quase 60% dos advogados ainda não sabem o que é uma Lawtech ou Legaltech. Essa proporção se concentra nos autônomos.

No entanto, o fato de a maioria dos advogados do país ainda não ter um grande conhecimento a respeito de novas tecnologias, não inibe a enorme transformação digital que tem ocorrido no âmbito do Direito. A AB2L – Associação Brasileira de Lawtechs e Legaltechs – fundada em 2017, – alerta para o fato das Lawtechs e Legaltechs ainda serem recentes no país.

Com o passar dos meses, estamos começando a perceber cada vez mais matérias nos jornais e revistas sobre tendências e transformação digital no Direito. A disseminação dessas novas tecnologias é questão de – pouco – tempo. Criar novos modelos combinando toda essa tecnologia será a chave para o sucesso.

E, podemos ver que essa combinação também já vem sendo estruturada no Direito. Por exemplo: ao utilizar sistemas de Jurimetria e Legal Analytics, o advogado identifica rapidamente, por meio de dashboards e gráficos, onde foram proferidas decisões favoráveis, por qual julgador e qual o período em que foram proferidas.

Pautada em Inteligência Artificial, essas novas ferramentas tornam possível que o advogado indique as chances de êxito de um caso pautado em dados empíricos, obtidos em poucos instantes, tornando assim, a tomada de decisão, por exemplo, sobre o risco de seguir com um processo ou propor um acordo são mais rápidas e assertivas.

Em poucas palavras, aliado às novas tecnologias, é possível ao advogado autônomo utilizar dados estatísticos como um diferencial em um mercado cada vez mais competitivo – o que não significa transformar o Direito em uma ciência exata, mas sim complementar a sua opinião jurídica com dados e métricas.

Anywhere Office

Além do home-office, o termo anywhere office também ganhou popularidade e representa a liberdade dos empregados trabalharem de qualquer lugar que não necessariamente suas casas (home).

A comprovada eficácia desses modelos de trabalho quebrou barreiras geográficas, e sua massiva adesão influenciou até governos que passaram a conceder vistos especiais aos trabalhadores remotos classificados como “Nômades Digitais”.

Como ser um advogado anywhere office?

Atualmente, com – somente – boas ferramentas e uma boa conexão com a internet, é possível realizar a advocacia anywhere office igualmente como de forma presencial. Os tempos mudaram e manter a qualidade na prestação de serviços é possível.

Apesar da compreensível resistência de advogados às novas tecnologias e processos inovadores – o que apresenta um certo desafio para o trabalho anywhere office –, já é possível encontrar advogados autônomos, escritórios de advocacia e departamentos jurídicos adequando-se à nova cultura que se apresenta.

Portanto, a adoção de boas práticas é imprescindível para o sucesso deste novo modelo de trabalho, pois não há como se falar em trabalho remoto sem referir à utilização de ferramentas que garantam um trabalho mais eficiente, assim como a excelência na comunicação com clientes, sócios ou parceiros.

Dicas para atuar no formato anywhere office

  1. Gestão de Processos: Utilize ferramentas de gestão de projetos para organizar sua agenda e gerenciar seus processos. A utilização de uma ferramenta para gestão processual é importante para: (i) organização da prática advocatícia; (ii) automatização de processos; e, (iii) eficiência na rotina;
  1. Digitalização de Documentos: Em conjunto à gestão de processos, é importante que você mantenha os seus documentos digitalizados e armazenados em nuvem. A partir de agora o seu escritório passa a ser, unicamente, o seu notebook – otimizando a sua prática advocatícia – e você não corre o risco de perder documentos importantes ou ter de refazer pesquisas e/ou documentos;
  1. Gerenciamento de Equipe: Desenvolver uma boa comunicação com a equipe será um diferencial para mantê-la engajada e produtiva, por isso invista em um software de comunicação adequado para o trabalho remoto. Não esqueça, mesmo como autônomo é imprescindível que o advogado invista em encontros online para alinhamento de tarefas e manutenção de um espírito engajado entre a equipe, bem como que tenha parceiros para a realização de qualquer ato presencial;
  1. Inovação Constante: Manter-se em constante atualização sobre as principais inovações tecnológicas para o jurídico é um grande diferencial em um mercado cada vez mais competitivo. Por isso, busque por tecnologias que otimizem o seu tempo e lhe tragam maior potencial estratégico de atuação; e,
  1. Foco no Cliente: Por fim, não se esqueça da maior transformação advinda com a Advocacia 5.0: Foco no cliente. Um dos grandes perigos de processos como o da automação é tratar a todos como se fossem iguais. Por isso, este novo momento exige que você ofereça um bom atendimento ao cliente, para que, em especial, sua localização não seja, de forma alguma, um impedimento para a sua contratação.

Ao trazer o aspecto humano para sua atuação, é permitido que você tome decisões personalizadas para cada cliente (por meio da utilização de dados estatísticos de jurimetria), o que melhora significativamente a experiência de quem está sendo atendido.

Além disso, não se esqueça:

Não espere que o seu cliente o procure, mantenha o contato para envio de atualizações; e,

Invista em conhecimento customer success e entenda como fidelizar clientes pela prestação de serviços e relacionamento com o cliente.

Quer conhecer um pouco mais sobre o ‘novo normal’ da advocacia mundial? Como resultado da nossa nova parceria com a L2C – Lawyer 2 Client – uma plataforma criada para permitir que os advogados autônomos e pequenos escritórios possam atender clientes de qualquer lugar do mundo, usufruindo de materiais de ponta, como, por exemplo, um sistema completo de Jurimetria oferecida pela TURIVIUS, estamos oferecendo um eBook exclusivo sobre as novas tecnologias e práticas no âmbito do Direito, que conta com insights valiosos e, ainda, aborda temas como inteligência artificial, automação de processos, plataformas digitais e muito mais.

Leia também em nosso blog

Sumário

Posts Relacionados

A importância das provas digitais em processos criminais
Provas digitais são essenciais em processos criminais, requerendo coleta rigorosa e cadeia de custódia para garantir integridade e validade.
Além do Hype da IA Generativa: A Relevância contínua das aplicações tradicionais de Inteligência Artificial no Mercado Jurídico

Introdução O avanço exponencial da Inteligência Artificial (IA) tem causado um frenesi em torno das tecnologias generativas, como ChatGPT, Gemini,

Teste o software gratuitamente

Pesquisa jurisprudencial com filtros de Inteligência Artificial e Jurimetria.